CAPPAZ - Confraria Artistas e poetas pela Paz

PALAVRAS DO PRESIDENTE

Bem-Vindos à CAPPAZ
Confraria Artistas e Poetas pela Paz


Aqui, falamos de PAZ e AMOR.
Aqui, usamos a Espada do Guerreiro Branco. Ou, se quiserem: do Anjo-Guerreiro. Mas, ninguém, aqui, é Anjo. Porque, aqui, somos todos feitos de Carne, Osso, Suor, Sangue, Lágrimas... Com erros e acertos. Eis que, aqui, somos homens e mulheres movidos pelo Farol do Idealismo! Apesar da corrupção que gangrena nosso Amado Brasil! Apesar dos desmandos! Das impunidades! Das mentiras deslavadas! Das hipocrisias sociais! Da violência cotidiana encarnada em seus mais diversos matizes! Enfim, apesar do estado lamentável de apodrecimento do coração do homem. Deste mesmo homem que, parece, perdeu sua Alma para o deus-dinheiro, para o materialismo exacerbado, para o poder sem limites. Este homem que, dolorosamente, continua sendo exemplo concreto e atualíssimo do que nos diz Nietzsche: o homem é o mais cruel dos animais.
E o sábio filósofo continua com carradas de razão: eis que este cruel animal destrói, diuturna e ininterruptamente, a Casa onde ele é apenas mísero inquilino do Criador. Nosso Ar está empestado. Nossa Água envenenada. Nossa flora dizimada. Nossa fauna extinta. Aonde foi aquele homem que não mais vê os Frutos da Terra? Aonde foi aquele homem que não mais vê as flores nem lhes sente a fragrância? Aonde foi parar o coração amoroso do homem? Aonde foi parar sua Alma outrora sensível?
Pois, a CAPPAZ nasce do ventre dessas e de outras tantas perguntas, indagações, de outros tantos questionamentos. Filosofamos, cogitamos, nos encorajamos, nos mexemos e aqui estamos vestindo a camiseta franciscana de PAZ e BEM. Na Igualdade das mãos de mulheres e homens, simbolizando o equilíbrio: o yang/Yin. E na Beleza da Simbologia da Fênix que morre e ressurge de suas próprias Cinzas. Metáfora profunda do Cristo que, assassinado, não morreu - eis que renasceu de si mesmo! Metáfora esta que o Ensolarado Francisco de Assis insiste, ainda, em pregar aos homens: É morrendo que nascemos para a Vida Eterna!
Com tantos Símbolos, tantas Imagens, tantas Metáforas, um grupo de gaúchos - quem sabe em homenagem à Raça do índio Sepé Tiaraju - que amava desmesuradamente esta Querência Rio-Grandense! - sacudiu a poeira, deu a volta por cima e aqui está: irmanado com irmãos e irmãs deste Continente Verde-e-Amarelo e com irmãos e irmãs de Além-Fronteiras, para, efetivamente, PAZEAR e batalhar pelo nosso Encantador Planeta-Azul!
É isso. E quem se sentir capaz de cirandar conosco e conosco desfraldar esta Bandeira Verde e Branca, seja CAPPAZ! Vamos praticar a Utopia da PAZ e do AMOR realizáveis! Fica, aqui, o convite!

Com meu franciscano abraço,

João José Oliveira Gonçalves
JJotaPoet@!
- Presidente Nacional da CAPPAZ -
Porto Alegre, 09 de abril/2008
Rio Grande do Sul/BRASIL

















Confraria Artistas e Poetas pela Paz - Todos os direitos reservados
Formatação e layout por Rosângela Coelho