CAPPAZ - Confraria Artistas e poetas pela Paz


    

 

  Data: 14/12/14 - 19:24

  Nome:   JOYCE LIMA KRISCHKE
  Cidade:   BALNEARIO CAMBORIU
Mensagem de Natal e Ano Novo
Joyce Lima Krischke
É Natal e o Fim do Ano está próximo...
São momentos de dar graças, de agradecer por tudo de bom
e por nossas conquistas.
É importante lembrar aqueles estiveram junto à CAPPAZ e participaram da sua divulgação e crescimento, durante o Ano 2014.
Ano em que juntos comemoramos o Jubileu de Açúcar – CAPPAZ – seis anos pela Cultura da Paz e Manutenção da Vida no Planeta Terra.
Caríssimas Confreiras e caríssimos Confrades amigos agradecemos suas presenças e amizade fraterna dedicada nesse ano que está findando.
Que o Natal , quando comemoramos o nascimento de Jesus, seja vivido
sob as luzes da Paz e da Harmonia e que no próximo ano- 2015- possamos compartilhar novas conquistas na Paz e no Bem.
Balneário Camboriú/SC – Natal 2014


  Data: 13/12/14 - 18:46

  Nome:   J.J.OLIVRIRA GONÇALVES
  Cidade:   PORTO AELGRE
   
INTRODUÇÃO 70 ª CIRANDA MENSAL CAPPAZ
Partituras Amorosas...
J.J. Oliveira Gonçalves

Quando chega dezembro, muda o ritmo. E o tempo é outro. É tempo de Natal e de Ano Novo. Jesus renasce, como nasceu há mais de 2000 anos. É tempo de Luz e Fé. Tempo de uma reflexão debruçada sobre as 365 páginas de nossa vida, contidas no Livro 2014. Tempo de expectativas e Esperança – nas páginas ainda em branco de 2015.

Assim pensando, sentindo e escrevendo, concebi este texto sob o título de “Partituras Amorosas”. Eis que, repito: o ritmo muda. A melodia é outra. É outra a sinfonia. Todavia, são duas Partituras que obedecem ao mesmo Espírito que rege a Grande Orquestra. Tudo porque chega dezembro, simplesmente. E, com dezembro, o chamado “Espírito de Natal”. E o alvoroço das Festas de fim de ano. Jesus-Menino e Papai Noel são transformados, involuntariamente, em garotos propaganda do comércio de presentes de múltiplos matizes. É o materialismo exacerbado. A ganância pelo lucro exorbitante. É a adoração, o culto explícito ao maior deus pagão e deletério da História da Humanidade: o deus-dinheiro. Este deus que discrimina os homens e ceifa as Flores da Paz, na terra. Que faz empedernidos os corações e apaga o Brilho Divino das Almas! Dezembro. Dois acordes. Duas Sinfonias. Notas diferenciadas de um mesmo sonoro e tradicional Concerto!
Natal! Não quero o brilho artificial de milhares de lâmpadas enfeitando as casas, a cidade. Mas quero o brilho insofismável de miríades de Estrelas intermitentes emocionando meu coração de homem-comum. E escrevendo Poemas de Paz e Bem, de Amor e Liberdade, a cirandar com meu coração incorrigível e sempre inspirado de poeta!

2015: um livro em branco, como afirmei, anteriormente. Uma Incógnita. Um Mistério. Uma ansiosa Expectativa. Que não seja, apenas, uma mudança tradicional, convencional e de ficção, no Calendário de nossas vidas. Quem sabe, Deus, que nos manda seu Filho Unigênito – nosso Maior e mais Belo presente de Natal, porque Sagrado! – olhe mais amiúde para este Solo Amado e Generoso chamado Brasil. E transforme a Esperança de Pátria e Liberdade num Sonho palpável e numa Utopia irreversível!

E, assim, com estas palavras e estes Desejos, declaro aberto o expediente para esta última Ciranda do ano 2014, da nossa Confraria Artistas e Poetas pela Paz/CAPPAZ. Sejam todos muito bem-vindos com sua Arte – nas mais diversas e belas manifestações! Eis que as Artes são Etéreas Emanações da Presença do Criador, em nós – Seus filhos eternamente Bem-Amados!

Um Natal de Paz e Bem!
Um Ano Novo de Fé, Esperança e Concretas Realizações!!

Com meu abraço franciscano – sempre!
JJotaPoeta!

“Minhas palavras são como as Estrelas... Jamais empalidecem!”
(Grande-Chefe Seattle)

Porto Alegre, 13 de dezembro/2014. 10h50min – HA
jjotapoesia@gmail.com – www.cappaz.com.br


  Data: 17/11/14 - 10:23

  Nome:   JJOTAPOETA
  Cidade:   PORTO ALEGRE
   
O Seio, o Amor, a Vida!

J.J. Oliveira Gonçalves


Sou gaúcho! Nasci neste Garrão
Bem ao Sul da Pátria brasileira!
Lindeiro ao Uruguai... O coração
Vem de lá da Rainha da Fronteira!

Na querência teatina e hospitaleira
Mais que Vento, o Minuano é canção!
Entre o Verde-e-o-Amarelo da Bandeira
O Vermelho: Argamassa deste Chão!

Espia o Centauro esta grandeza
E o quero-quero é alerta sentinela
Lembrando que Sepé morreu por ela!

Por esta Terra de Alma generosa
Onde a prenda bonita e valerosa
É o Seio, o Amor, a Vida - com certeza!

Porto Alegre, 23 de junho/2008. 11h22min
jjotapoeta@yahoo.com.br - www.jjotapoeta.art.br



  Data: 16/11/14 - 23:36

  Nome:   KAUANE
  Cidade:   SÃO PAULO
JOYCE !!!! SAUDADES UM FORTE ABRAÇO....KAUANE

  Data: 12/10/14 - 1:8

  Nome:   JJOTAPOETA
  Cidade:   PORTO ALEGRE
   
Minha Infância Envelheceu...
J.J. Oliveira Gonçalves

Minha infância envelheceu...
Ela é o meu "eu" que se perdeu nos ermos
das distâncias...
Entre as poeiras dos tempos!

Minha infância envelheceu... mas não morreu...
E vive, assim, na nostalgia... nas relembranças...
Alimenta-se de saudades... de suspiros
de cenas inapagáveis
no coração de minha criança-interior!

Minha infância envelheceu... encaneceu os Sonhos
que eram verdes...
Apagou o riso... o sorriso... a Inocência!

Do doce fez-se o Amargo
Do contente fez-se o Triste
Dos que amei, lá, então, fez-se a Ausência
Da algazarra infantil fez-se o Silêncio
Da alegria vivaz fez-se a Dolência
Da boa avó materna fez-se o Pranto
Que até hoje guardo nos olhos já cinzentos!

Minha infância envelheceu...
Não há como voltar... eu sei: não há!
Todavia, do Tempo que não pára, não espera
eu me vingo... e lá eu volto
num acesso de loucura (sem ser louco!)
nas Asas sutis do Pensamento
na memória fiel do coração...

Então, eu pego meus brinquedos - e brinco
Corro no jardim da boa avó entre flores,
cores e perfumes...
Abraço o Amiguinho Imaginário
Saltito com a arteira carochinha...
E, nesse transe assim, nessa Emoção
um a um - acaricio meus bichinhos de estimação!

Minha infância envelheceu... eu sei!
Mas quando eu volto lá - em pensamento
Nas Asas diáfanas do irmão Vento
alquebrado, perdido, envelhecido
no arrepio febril que acende a Alma
a Infância que vivi trago comigo:

Cúmplice de meus Sonhos nacarados
Singela, amorosa... doce abrigo!

Porto Alegre, 06 de outubro/2007. 21h16min
jjotapoeta@yahoo.com.br - www.jjotapoeta.art.br


  Data: 12/9/14 - 13:54

  Nome:   Paola Rhoden
Um dia acontecerá.

  Data: 31/7/14 - 1:5

  Nome:   JOYCE LIMA KRISCHKE
  Cidade:   BALNEARIO CAMBORIÚ/SC
   


Ser Avó... (II) *
Joyce Lima Krischke

Ser avó é viver e reviver
Momentos de felicidade plena!
A cada instante rever um filho
Ou uma filha, no corpo, na alma,
Nos gestos de cada neta ou neto.

Ser avó é ouvir a voz do passado ressoar.
É a herança genética a se manifestar...
É a vivência de momentos felizes,
Que são inolvidáveis e imperdíveis
E relembranças do filme da vida.

Ser avó é ser adulta e, também,
É ser criança ou ser adolescente,
Cantar canções do ontem e do hoje.
É sentir a continuidade da vida...
Nesses seres amados- os netos.

Ser avó é viver o amor puro e profundo
Num convívio de emoção e ternura.
É ver a luz brilhar além do túnel...
É apreciar o céu azul no horizonte,
Com os netos ao meu lado sorrindo!

Ser avó... É saborear o fruto mais doce
Das árvores que plantei nesta vida

Balneário Camboriu, 26/07/2014

  Data: 31/7/14 - 0:53

  Nome:   EDA BRIDI
  Cidade:   SOBRADINHO -RS
   
TODOS OS ABRAÇOS NO DIA DO AMIGO
EDA BRIDI

Uma lenda, por certo conhecida dos caros leitores, conta que dois amigos viajavam no deserto e, num determinado ponto da viagem, discutiram. Ofendido, sem nada dizer, um deles escreveu na areia: “Hoje, meu melhor amigo me ofendeu”.
Seguiram e chegaram a um oásis, onde resolveram banhar-se. O que havia sido ofendido começou a afogar-se, sendo salvo pelo amigo. Ao recuperar-se, pegou um estilete e escreveu na pedra: “Hoje, meu melhor amigo salvou-me a vida”.
Intrigado, o outro perguntou: Por que, depois que o ofendi, você escreveu na areia, e agora escreveu na pedra?
Sorrindo, o companheiro respondeu: Quando um grande amigo nos ofende, devemos escrever na areia, onde o vento do esquecimento e do perdão se encarrega de apagar. Porém, quando nos faz algo de bom, devemos escrever na pedra, onde vento nenhum do mundo consegue desfazer.

Assim, é na vida real. Entre amigos, as ofensas são perdoadas, esquecidas, as mágoas superadas, e os atos bons, valorizados, fortificados, guardados no coração e na memória como a lembrança de bem-querer, de estima, de harmonia, de convívio fraterno, de sentimento de paz e amor.
A amizade é como uma joia preciosa é cultivada por nobres virtudes: a lealdade, a bondade, o altruísmo, a compreensão, a doação, o companheirismo, a confiança mútua.O brilho dessa joia, a amizade, ilumina e protege a convivência entre os amigos, marcada pela sinceridade que permite que um aponte para o outro seus erros, e o ajude a corrigi-los, bem como oaplauda pelas boas ações.
Os verdadeiros amigos compartilham momentos difíceis, dão força, estendem a mão. Estão juntos nas derrotas e nas conquistas, compartilham dores e alegrias, e, juntos, comemoram o sucesso alcançado em suas realizações.
E, plagiando o cantor Milton Nascimento, dizemos:
“Amigo é coisa para se guardar
Debaixo de sete chaves
Dentro do coração...”

Comemoremos, ainda, enfaticamente, o Dia do Amigo, que transcorreu no dia 20, com um grande abraço coletivo. Quando abraçamos alguém, no mesmo instante recebemos um abraço de volta, e nossos corações e nossas almas se enchem de alegria, gratidão e felicidade.
Um abraço especial para todos, caros amigos, confrades e confreiras da CAPPAZ.
Eda Thereza Piccinin Bridi


  Data: 13/1/14 - 10:15

  Nome:   Isabell Sanches
  Cidade:   Cachoeiro de Itapemirim
   


Amo fazer parte dessa família maravilhosa "Cappaz".

  Data: 01/1/14 - 14:14

  Nome:   JJOTAPOETA
  Cidade:   PORTO ALEGRE
   
Quarta-Feira, 1º de Janeiro de 2014...
J.J. Oliveira Gonçalves

E agora?

O novo ano já tem uma manhã escassa de idade. Ou quase a metade do dia. É, ainda, um bebê. Todavia, esse bebê cresce, se desenvolve e anda rápido. Quando vemos, é um menino. Em seguida, um adolescente. Chega à idade adulta com a sofreguidão boba e cega dos jovens que querem se tornar, precocemente, adultos. E, assim, dessa forma impensada e equivocada, o ano - tal qual os jovens - vai envelhecendo na Linha Imaginária do Tempo. Quando se dá de conta, já é tarde. Muito tarde. Então, velho, olha para trás e lhe restam as lembranças... As belas ele as quer eternizar nas lágrimas suspirosas de Saudade... As ruins? Ah, quisera bani-las - para sempre - de suas retinas acinzentadas e exaustas... Mas, agora, é tarde - e Inês é morta. O ano, que também foi novo, foi bebê, tem que ir embora. É a sua Hora. Assim, como tem que ir-se tudo o que, um dia, nasceu. Esta realidade é a irreversível verdade das Chegadas e Partidas...

Assim, o calendário marca o final de ano. E aponta para o começo de outro. O que era velho já não serve mais. Tornou-se obsoleto. Se deteriorou pela própria Andança. Na ânsia de agradar a uns. Tentar agradar a outros. Reconhecendo que, à maioria, lhes deixou apenas a Esperança, numa doída expectativa de que o ano que se projeta, ofereça a Colheita de Sonhos e Ilusões que ficaram apenas em Ilusões e Sonhos... E, assim, vai-se o ano velho. Um velho em suas vestes de fantasma, com a falência generalizada de seus órgãos... Triste e já esquecido moribundo!

Nasci homem-comum. Lá na "Rainha da Fronteira" - Bagé, lindeiro com o Uruguai. Lá, Também, por obra do Destino e a mando de Deus - que ordenou a Orpheu - nasci poeta. Um poeta - como até já escrevi um poeminha, faz muito tempo - sem rosto. Hoje, alguns vêem meu rosto. Porque me enxergam com os olhos do coração. E com os sentires d Alma. Por isso mesmo, se já não sou um poeta sem rosto, a metade de minha face permanece coberta, desconhecida. Quem sabe, porque a Lua é minha Madrinha Etérea, esta metade permaneça encoberta até o último dia de minha vida. Pois, nos ensina o sábio Saint-Exupéry - em "O Pequeno Príncipe" - que, há momentos em nossa vida que só enxergamos com os olhos do coração... Que Metáfora feliz! Não é mesmo uma Pérola da Alma? Um Vôo Luminoso do Espírito??

Bem... O novo ano, aí, está. O que fará conosco? O que faremos dele? O que nos trará, no futurista Enigma de seus 365 dias? Mãe-Natureza será enxergada pelos poderosos, arrogantes e insensíveis "donos do mundo"?? E haverá alguma demonstração - pelos que, ainda, não só se acreditam mas se julgam "sapiens" - de humanidade pelos inocentes e desprotegidos manos animais?? Perguntas. Indagações muitas. E muitas, ainda, poderia fazer. Mas, para quê? Essas duas já me bastam. Ah, quem sabe, esses "mais iguais" perante os povos - e à vista de Deus! - ouvissem "O Pequeno Príncipe"... Então, (numa espécie de Milagre!), arrependidos e envergonhados de si mesmos, enxergassem o Criador e Lhe dessem a alegria de, finalmente, encarnarem verdadeiramente Sua Obra-Prima... Ah, ser o homem Sua Obra-Prima, creio que foi, (não sei se ainda o é!), o Sonho-Maior, o Devaneio mais bonito e a Utopia Eterna de Deus!!

Bem-Vindo, 2014! Te recebo como sou. Como é meu verso. Minha rima. Minha palavra. Exatamente como é este modesto perceber da vida. E são meus latentes Sentires d Alma, do coração, do Espírito! Se são doídos? São. Muitas vezes. Pois, compreendo que foi neste formato que o próprio Deus me mandou aqui, peregrinar. São Francisco de Assis gravou um lema em meu peito: "Paz e Bem". Dele não esqueço, (nunca!), pois sempre ouço o que me falam as batidas, (já cansadas!), do coração. Sei: sou um camarada que abriga outro cara que se chama poeta. E tenho que aturá-lo 24 horas por dia. Quem sabe, mais... Pois, é, 2014... Esta é uma crônica intimista. (Talvez, docemente invasiva!) Um monólogo. Uma Metáfora da Vida. (Da minha!) Então, a fecho, te afirmando, tranqüilamente: és um bebê. Eu, por minha vez, vês que já sou feito o irmão Sol - navegando no Ocaso silencioso do entardecer...

Porto Alegre, 1º de Janeiro - Dia da Confraternização Universal/2013. 13h - ha
jjotapoesia@gmail.com - www.cappaz.com.br



  Data: 30/12/13 - 17:25

  Nome:   JOYCE LIMA KRISCHKE
  Cidade:   BALNEARIO CAMBORIU
   
Ao Encontro do Ano Novo-2014


Ano Novo... Novos projetos,

Novas esperanças... Novos caminhos,

Novos desafios na caminhada

Rumo às realizações da Cultura de Paz

Recriaremos o Novo Pensar...

Rumo à criação, divulgação e vivencia

Da Cultura de Paz e Bem

Seremos Novos no Agir...

Plantando um mundo de Esperança...

Alicerçados na Fé, espalhando Amor...

Apoiando nossas mãos- umas sobre outras

Construiremos a Torre da Paz,

Da Fraternidade, da Solidariedade...

E Respeito à dignidade humana.



É chegado o momento de somarmos

Ações CAPPAZES na construção

Do céu em cada coração das criaturas.

Sigamos... Rumo ao Encontro do Ano Novo

E do Renascimento

-2014 ESTÁ CHEGANDO!


Balneário Camboriu, 30 de dezembro de 2013.

Joyce Lima Krischke

Presidente- Fundadora CAPPAZ



  Data: 25/12/13 - 16:31

  Nome:   JOYCE LIMA KRISCHKE
  Cidade:   BALNEARIO CAMBORIU
   
HOJE É NATAL!

Hoje é Natal e minha mensagem é especialmente para você.
Amanhã, após o Natal também estarei pensando em você.
Aproxima-se o Ano Novo e estarei pensando em você
mesmo que estejamos distantes estarei
ainda com meus sentimentos
e pensamentos voltados a você.
Saiba que sua alegria e seu sucesso me tornarão muito feliz.
Desejo-lhe que o brilho da estrela do Natal e as canções natalinas
penetrem no íntimo do seu ser levando muita alegria.
Desejo-lhe que a felicidade e as alegrias do Novo Ano
se prolonguem durante sua vida, juntamente com muita paz e amor
no seu coração.
Joyce
- Natal-2013


  Data: 25/12/13 - 16:25

  Nome:   JOYCE LIMA KRISCHKE
  Cidade:   BALNEARIO CAMBORIU
   

Feliz Natal e Muita Paz- 2013
Joyce Lima Krischke

Noite Feliz! Noite de Paz!
Noite de Luz! Noite de Cantos!
Também, Noite de Silêncio
E Noite de recolhimento

Olhos fechados... Surge o Anjo
Abrem-se os ouvidos do coração.

“Encontrareis um recém nascido
Deitado numa manjedoura”.
Gloria a Deus nas alturas
E Paz na Terra aos homens...”


CANTEMOS JUNTOS:
Feliz Natal e Muita Paz...
Paz... Paz...



  Data: 20/9/13 - 3:17

  Nome:   JJ.OLIVEIRA GONÇALVES
  Cidade:   PORTO ALEGRE
   

Da Rubra Herança Farrapa!
J.J. Oliveira Gonçalves

Nas veias, trago esta Essência
Da Rubra Herança Farrapa!
Desfraldado na Consciência
Deste Garrão tenho o Mapa!

Vive, em mim, o Telurismo
O gosto doce da Terra!
Quintessente Bucolismo
O Patrão Grande descerra!

Meu Rio Grande da Bravura
De uma Raça destemida!
Meu verso... Fruta madura
Flor é a rima... enternecida!

Palanqueado na Memória
Vibra o Grito de Sepé!
Rio Grande: Sagrada História
Hospitaleiro e de Fé!

No grito do Quero-Quero
Sentinela sempre alerta
Que te previnas, espero
Contra essa gente esperta:

Que teu nome não respeita
Nem tua Nobre Tradição!
Essa gente, enfim, suspeita
De execrável corrupção!

E quase lá no arremate
Desta fala te ofereço
Na Lira, que vem cantar-te,
As Metáforas que teço!

Hás de ser o Redomão
Que a mão não cabresteia!
Honrado, Nativo Chão
Onde a Verdade campeia!

Neste 20 de Setembro,
Sou o campeiro sabiá:
Cantarolando me lembro
De tua História – ainda piá:

Nas Páginas do Passado,
Teu Legado se debuxa:
Querência, Pago, Estado,
Gaudéria Alma Gaúcha!

E que Deus – que é brasileiro
Gaúcho é – com certeza! –
Te mantenha Altaneiro
Em tua Estirpe e Nobreza!

Do Centauro nas coxilhas
Tenho a Mística Visão!
E as Façanhas Farroupilhas
Neste Altar do Coração!

Porto Alegre, 20 de Setembro – Data Farroupilha – 2009. 11h30min

jjotapoesia@gmail.com - www.cappaz.com.br




  Data: 04/9/13 - 22:45

  Nome:   J.J.OLIVEIRA GONÇALVES
  Cidade:   PORTO ALEGRE
   
Ode à Velha Laranjeira!
J.J. Oliveira Gonçalves

Meu quintal e a cozinha
Perfumados - que beleza!
Mesmo o pátio da vizinha
Que despreza a Natureza!

Ai, quanta gente daninha
Neste mundo - que tristeza!
Pra Natureza - tadinha...
Só palavras de aspereza!

Louvo alegre meu quintal
E a laranjeira em flor!
E o sabiá - imortal
Rimando versos de Amor!

Neste tempo sazonal
Coração é cheio de Amor!
Nesta Alma Outonal
Canta e chora um trovador!

Minha velha laranjeira
Vestida de Primavera...
Musa, noiva, companheira
Destes meus olhos-de-espera!

A flor e o fruto - faceira
Tu me dás, oh, minha Bela!
Te dou a rima da algibeira
Apaixonada e singela!

Te saúda o bem-te-vi
Asinhas bate - veemente!
Ledos tempos de guri
Recuerdos de antigamente!

Pardalzinho e colibri
Carochinha - inocente!
Sanhacinho, voa aqui...
Barreirinho - tão contente!

Minha mãe e minha irmã
Natureza, és Soberana!
Primaveril é a manhã
Nesta Lira... franciscana!

Porto Alegre, 04 de setembro/2013. 10h
jjotapoesia@gmail.com - www.cappaz.com.br


 
Mostrando 15 mensagens de um total de 351

<< anterior    1  2  3  4 5 6  7  8  9    próxima >>
 

Confraria Artistas e Poetas pela Paz - Todos os direitos reservados
Formatação e layout por Rosângela Coelho

Powered by © Fritsche